Blog

Você sabe quantos Plugins você pode instalar no WordPress?

Quantos plugins você pode instalar
Opinião

Você sabe quantos Plugins você pode instalar no WordPress?

Esta é uma pergunta muito comum, dada a quantidade de plugins disponíveis, e até mesmo dos mais recomendados. Foi a pergunta do nosso leitor Fernando Ricardo quando falamos sobre como transformar o WordPress em uma maquina de fazer dinheiro, entre outros que perguntaram a mesma coisa em outros momentos. Como vamos sempre postar listas dos plugins recomendados, como a lista dos 30 melhores plugins para 2014, que publicamos esta semana, resolvemos analisar a questão junto com você, que também tem esta dúvida. Neste artigo, vamos falar sobre quantos plugins você pode instalar e as condições que se aplicam a isso.

Entre as perguntas mais comuns que as pessoas fazem estão:

  • Quantos plugins eu devo instalar no meu site?
  • Ter muitos plugins não é ruim para o desempenho?
  • Os plugins não aumentam o risco de falhas de segurança?
  • Não é melhor evitar de instalar muitos plugins?

Por isso, o objetivo deste artigo é educar melhor iniciantes do WordPress, mas também usuários avançados, na esperança de que todas estas dúvidas sejam esclarecidas.

Entenda que os plugins são uma bênção! Se não houvessem, talvez o WordPress não teria o mesmo sucesso, apesar de ser uma plataforma incrível. Conforme este sucesso faz aumentar a comunidade WordPress, consequentemente, aumenta o número de plugins. Agora, enquanto eu escrevo este artigo, o repositório oficial de plugins do WordPress, conta com +30.190 plugins gratuitos, que foram baixados +624.433.000 vezes, e este número continua subindo. E olha que este número é apenas no repositório oficial, sem contar os plugins premium e outros plugins gratuitos que não estão disponíveis por lá. A cada necessidade, surgem novos plugins que possam atendê-la. Isso é bom, no entanto, vai ficando cada vez mais difícil escolher e instalar poucos. Ainda mais com a quantidade de plugins que são recomendados diariamente em posts de blogs espalhados pela web.

Esta quantidade abissal de plugins e desenvolvedores, têm gerado um sentimento de medo ou restrição aos plugins, em muitos usuários. As pessoas têm diversas preocupações, como o desempenho, segurança, confiabilidade, entre outros. Então, desenvolvedores de plugins e designers, começaram a recomendar que menos plugins fossem instalados, para não afetar tanto o desempenho do site. Isso ocorreu, principalmente porque muitos faziam uma bagunça de plugins instalados em seus sites. Mas, o que seria ter poucos plugins? Quantos devo instalar? O que nós pensamos sobre isso, é que em geral, os plugins não prejudicam o seu site. Apenas os maus plugins fazem isso.

[Tweet “No geral, plugins não prejudicam o desempenho do seu site. Apenas plugins mal codificados fazem isso.”]

Começamos a ver diversos artigos (como este), que mostram como fazer isso e aquilo sem plugin. Mas, na verdade, o objetivo destes artigos não é desencorajá-lo a utilizar plugins e sim torná-lo capaz de fazer determinadas coisas, mesmo sem utilizá-los. Entenda que adicionar snippets no arquivo functions.php do seu tema, funcionaria de forma idêntica à adição de plugins. Isso quer dizer que a mesma quantidade de recursos seria necessária para adicionar tal funcionalidade. Isso quer dizer que, se você adicionou 30 snippets, é como se tivesse adicionado 30 plugins ao seu site.

Existe também todo um debate sobre acrescentar trechos de códigos ao seu arquivo functions.php. Principalmente porque, se o tema for trocado, tecnicamente você vai perder todas as funcionalidades que adicionou, e que talvez quisesse mantê-las. Por isso, escrevemos o artigo sobre: O quê, Por Quê e Como de ter um Plugin Específico do Site.

Assim, muitos usuários tem a ilusão de que se adicionarem códigos em seu arquivo functions.php ou mesmo no plugin específico do seu site, terá melhor desempenho. Outros acreditam que é mais seguro fazer isso. Na verdade, isso não o isenta de nada. Você pode ter funções mal codificadas, que podem acabar comprometendo e esgotando os recursos do servidor, deixando seu seu lento ou até mesmo fazê-lo deixar de funcionar. Isso, sem contar que pode gerar também vulnerabilidades. Então, reforçamos que ter muitos plugins NUNCA compromete o desempenho do seu site e sim ter plugins mal codificados.

Respondendo a pergunta: “Quantos plugins devo ter em meu site?” A resposta é: Depende! Na verdade, a resposta é vaga. Quantos plugins você usa no seu site? Atualmente, aqui no [wp24], temos 37 plugins ativos e mais alguns que ativamos quando queremos fazer algumas coisas específicas, como testes de desempenho. Vários destes plugins você pode ver na nossa página Blueprint, que é um diagrama do nosso site.

Você pode testar o desempenho do seu site de diversas maneiras, que inclusive já falamos por aqui no passado. Este artigo é complexo e pode tomar uma parte considerável do seu tempo. No entanto, se você quiser entender um pouco melhor sobre o impacto que os plugins exercem no seu site e como escolher o melhor para sua necessidade, continue lendo. Consideremos os seguintes aspectos:

#1. Desempenho

Existem vários tipos de plugins para necessidade específicas. Alguns plugins afetam o front-end (plugins sociais, por exemplo). Outros afetam o back-end (plugins de backup, por exemplo). Existem também plugins que afetam tanto o front quanto o back-end (plugins de SEO, por exemplo). E, por que e como estes plugins afetam o desempenho do seu site? Há duas principais razões:

  • Solicitação HTTP adicionais – Alguns plugins exigem estilos personalizados (CSS) ou scripts (JS) extras, para funcionar corretamente.
  • Consultas ao BD adicionais – Alguns plugins aumentam suas consultas ao banco de dados.

Existem algumas coisas que você pode fazer para otimizar este processo, então, vamos apresentar algumas soluções rápidas. Antes de vermos quais são elas, recomendo, caso ainda não tenha uma solução de cache instalada, que instale e ative o plugin W3 Total Cache.

Questões de Solicitações HTTP Adicionais

Alguns plugins vão mesmo adicionar solicitações adicionais (ou seja, CSS e JS) para poder funcionar corretamente. Há duas maneiras de otimizar esta questão, no entanto, ambas exigem que você tenha um pouco de conhecimento sobre programação e WordPress. Vamos a elas:

  1. Cancelar o registro de estilos e scripts adicionais que estão sendo carregados pelo plugin. Para isso, você deve inserir os estilos no seu próprio style.css, e combinar os scripts do plugin em seu main.js.
  2. Carregar condicionalmente os estilos/scripts destes plugins, nas páginas em que são necessários.

Estas soluções devem ser estudadas, especialmente porque, em alguns casos, trata-se de alguns microssegundos. Claro que se você tem muitas solicitações HTTP, executar alterações usando seu know-how de codificação, pode ajudar no desempenho e tempo de carregamento. Vale dizer, que o que você deve considerar aqui é a relevância/prioridade disso para o seu negócio. Se isso tem uma grande prioridade, e você não tem conhecimento sobre programação, vale a pena contratar um profissional para ajudar a acelerar o seu site. (Estamos disponíveis).

Alguns desenvolvedores de plugins, pensando nisso, oferecem na tela de configurações de seu plugin, a opção de desativar estilos adicionais, por exemplo, como é o caso do WP-PageNavi. Isso facilita a vida de quem não sabe sobre PHP. Mas, vale dizer que, se você desativa os estilos adicionais, deverá adicioná-los no style.css do seu tema, para que fique visualmente compatível com o site.

Questões de Consultas de BD Adicionais

Alguns plugins aumentam a carga do servidor pela utilização de consultas adicionais no banco de dados. O próprio WordPress trabalha muito bem com cache para as consultas. Plugins bem codificados não devem causar problemas significativos neste sentido. No entanto, se você tem um grande site, e usa um plugin de posts relacionados, como o YARPP, por exemplo, isso pode se tornar um problema, especialmente se seu servidor não oferece muitos recursos.

Neste ponto você terá duas soluções: fazer upgrade na sua conta de hospedagem ou se livrar do plugin, e contratar alguém para desenvolver uma solução personalizada para você.

#2. Segurança

Segurança é uma das principais preocupações quando se trata de instalar plugins, como falamos no início. De fato, no passado, alguns plugins abriam brechas, vulnerabilidades grandes de segurança. Novamente, isso ocorre basicamente pela codificação mal feita do plugin. Além disso, a segurança é um risco à que todo software está sujeito. A grande vantagem neste sentido, é que existe uma grande comunidade trabalhando em torno do WordPress.

Como sempre falamos por aqui, a principal medida de segurança que você pode adotar é fazer backup regularmente. Em se tratando de um plugin, você pode melhorar a segurança do seu site usando Sucuri.

#3. Confiabilidade

Outra questão que as pessoas mencionam é sobre a confiabilidade do plugin. Será que o plugin terá continuidade? Será que será frequentemente atualizado? E coisas do tipo. Mas isso também é um risco que se corre com qualquer software. A Adobe pode parar, e não teremos mais o Photoshop. A Apple pode sair do negócio e não termos mais o iPhone (falando além de softwares). Neste ponto, a grande vantagem do WordPress é mesmo, como falamos, a sua comunidade. Esta comunidade está crescendo muito rapidamente.

Alguns serviços tem facilitado a cooperação entre membros desta comunidade, como é caso do GitHub, que permite que as pessoas trabalhem em conjuntos no desenvolvimento de alguns projetos.

Recomendamos que você analise o histórico, desenvolvedores e atualizações do plugin, antes de instalá-lo.

Então, Como Escolher os Melhores Plugins?

Deixamos a melhor e mais comum pergunta para o final! Este é um grande problema, principalmente para os novatos. Quais plugins são os melhores? Quais devo usar?

Existem dois caminhos:

  1. Você pode acompanhar por aqui. Sempre publicamos reviews e recomendações de plugins.
  2. Nossa recomendação é que você veja o histórico do plugin. Como?

Bem, existem diversos fatores que você pode analisar para determinar a relevância do plugin:

  • Número de downloads
  • Classificação (Ratings)
  • Quantas pessoas estão falando bem
  • Comentários sobre o plugin
  • Credibilidade do Autor

Acho que com estas informações, você será capaz de ter uma resposta satisfatória para suas perguntas. Não esqueça de sempre usar o bom senso.

Conclusão

O assunto que abordamos neste artigo é um pouco complexo, sabemos disso. A resposta para pergunta inicial é mesmo subjetiva. No entanto, esperamos que os tópicos que abordamos aqui, ajudem você a responder cada uma delas.

Respondendo a pergunta do Fernando: Na nossa opinião não existe a coisa de “muitos” plugins. A quantidade de plugins, é diametralmente proporcional à sua necessidade. Lembre-se que falamos: A quantidade não prejudica o desempenho do seu site. Plugins mal codificados sim, vão fazer isso.

Se você tem algum pensamento a respeito deste assunto, discorda do nosso ponto de vista, ou deseja acrescentar algo à discussão, então, por favor, deixe um comentário abaixo. Se quiser  nos dizer quais plugins você está usando ou mesmo a quantidade, também fique a vontade para deixar seu comentário.

Se você gostou de verdade deste artigo, compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Hashtags: #WP24H #WordPress #Plugins

 

 

Comments (2)

  1. FERNANDO RICARDO

    Olá Asllan, Parabéns e muito obrigado por acrescentar mais informações de valor a respeito deste assunto que causa muitas divergências de opiniões. Um outro fato que devemos levar em conta é a incompatibilidade que poderá ocorrer entre os próprios plugins ou até com o próprio tema WP instalado. Instalei em meu blog um plugin de membros para testa-lo. Ele interferiu no funcionamento e também no visual do blog. Mesmo após desativa-lo e exclui-lo só foi possível a regularização do problema após baixar backup. Assim apesar dos plugins serem essenciais para atingir uma melhor perfomance do WP sou da opinião de que quanto menos utilizar melhor. O que você acha?

    1. Asllan Maciel

      Obg Fernando! Acho que é importante usar o estritamente necessário. O artigo reflete nossa opinião a respeito.

Deixe seu comentário aqui...

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site (por meio de análise), mostrar a você conteúdo de mídia social e anúncios relevantes. Por favor, consulte nossa página Termos & Políticas para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'. OBS: Ao continuar a navegação, você, automaticamente, concorda.

Configurações de Cookies

Abaixo, você pode escolher os tipos de cookies que quer permitir neste site. Clique no botão "Salvar Configurações de Cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticoNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de a.o. a usabilidade.

Mídia SocialNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, mídia social ou publicidade.